Como um cliente fiel pode promover sua administradora?

Não importa o segmento da empresa, todas elas querem ter um tipo bem específico de cliente: aquele que defende uma marca e convence pessoas do seu círculo de contatos a contratar esses serviços. E agora existe um nome para esse consumidor dos sonhos: cliente promotor.

Com novas tecnologias surgindo todos os dias, é bem comum só se preocupar com a modernização da sua administradora. Mas uma coisa você não pode esquecer jamais, que o bom e velho boca a boca ainda funciona. E muito!

Para você ter uma ideia mais clara do que estamos falando, em uma pesquisa realizada em 60 países pela Nielsen Company, 83% dos entrevistados disseram que confiam nas indicações de amigos e familiares. Além disso, a ExpertVoice publicou que 92% das pessoas acreditam mais nas recomendações e sugestões de outras pessoas (e olha só, até se for um estranho) do que nos conteúdos criados e gerados por uma marca.

Como você pode ver, investir em clientes promotores é uma sacada muito inteligente. São essas pessoas que, além de serem clientes fieis, ainda indicam e brigam pela sua empresa, ou seja, promovem a sua marca.

Existem muitos tipos de clientes promotores. Metade das empresas nem mesmo sabem quem são o seus “advogados da marca”, e das que sabem, 80% não utilizam isso em seu marketing de forma efetiva, segundo dados da JiBit. Se você faz parte desse percentual, então está na hora de mudar isso, não acha? Vem com a gente!

Como identificar os seus clientes promotores?

Existem alguns indicativos que te ajudam a comprovar que um cliente pode ser um promotor da sua empresa. Alguns são:

  • Clientes felizes: o mais óbvio. O cliente consome, gosta, volta e indica. Dê valor a esse perfil, ele é muito importante para o seu crescimento.
  • Clientes indicadores: aquele que consumiu uma vez, nem sempre volta, mas sua experiência foi tão boa que ele indica o seu negócio para outras pessoas.
  • Clientes que amam a sua marca pelo valores ou posicionamento ou conteúdo: esse é um pouco mais difícil, ainda mais para empresas pequenas. São clientes que nem sempre consomem da sua empresa, mas indicam por saberem que o seu serviço é o melhor.
  • Colaboradores: esse tipo de cliente promotor é o que trabalha na sua empresa e a conhece a fundo, por isso pode indicar com muita propriedade. Mas aqui são dois lados da mesma moeda, já que, caso esteja infeliz, esse tipo de cliente promotor pode fazer o trabalho reverso e acabar com a imagem da sua marca.

Como transformar seus clientes em promotores da sua marca?

Ótimo, agora que você já entendeu a importância de ter um cliente promovendo a sua empresa, está na hora de colocar isso em prática. Parece difícil, mas a gente tem certeza que com nossa ajuda, esse trabalho vai ficar mais fácil. Bora lá!

1. Conquiste seu cliente de primeira!

Talvez essa seja a dica mais importante. Nada melhor para ter um cliente promotor do que conquistá-lo logo na primeira oportunidade. É claro que você pode fazer isso depois, mas é aquilo que dizem: a primeira impressão é a que fica.

Uma administradora de condomínios precisa suprir todas as expectativas dos síndicos e moradores. Nutra essa confiança de uma forma que não deixe a desejar.

2. Entregue o máximo de valor possível

Seu cliente espera sempre algo da sua administradora. E é aí que já começa a fidelização. Mostre a que sua empresa veio, os diferenciais e por que esse condomínio acertou em escolher a sua marca. Entregue mais do que o síndico espera.

3. Procure sempre otimizar a experiência do cliente com um suporte impecável

Um bom relacionamento é a base de um negócio saudável. Esteja sempre presente em todas as etapas de venda e consumo. Otimize seu site, seus aplicativos, todos os processos que envolvam o seu cliente e oferte uma experiência inesquecível, seja on ou offline.

Mas, principalmente, não se esqueça do pós-venda. Um cliente é fidelizado quando algo dá errado e ele tem um suporte que informa, ajuda e resolve problemas com rapidez, segurança e confiança.

4. Ajude seus clientes a atingirem seus objetivos

Descubra logo no início qual é o objetivo final do seu cliente e trabalhe com ele para chegar lá. Vista a camisa do seu cliente, mostre que vocês podem trabalhar juntos por um mesmo propósito. Nada encanta mais o consumidor do que perceber que uma marca está ao seu lado em busca de uma meta.

5. O cliente precisa ser o foco do seu negócio

Crie uma cultura empresarial focada nos clientes. Não tem como obter clientes promotores se sua empresa não vê seus consumidores como prioridade.

Promova treinamentos com a sua equipe, além de deixar claro que o sucesso do cliente é uma das missões da empresa. Leve isso de uma forma tranquila e seus colaboradores entenderão que o cliente é a prioridade da sua marca.

São muitas formas de tornar o seu cliente um promotor e essas são só algumas delas. Entenda que essa fidelização é importante para o crescimento da sua administradora e promova esse entendimento a todos os colaborados e líderes. Depois compartilhe com todos como foi essa experiência!

5 boas práticas para deixar sua administradora mais lucrativa

Toda empresa ou organização visa ser cada vez mais lucrativa, isso é um fato. Com a competitividade aumentando a cada dia, a disputa pelo mercado acaba ficando muito mais acirrada (o mercado vale barras de ouro!). E isso não é diferente com as administradoras de condomínios.

Quando a empresa é pequena, esse objetivo acaba sendo ainda mais desafiador. E para competir com os grandes nomes do mercado na área, é preciso aprimorar estratégias, treinar equipe, ter iniciativa e mais um monte de habilidades e obrigações que o negócio demanda. Não é fácil, mas também não é impossível, principalmente se nós te dermos um empurrãozinho.

Vamos listar abaixo algumas práticas que podem ajudar a aumentar a lucratividade da sua empresa:

1. Metas e mais metas.

Para quem não sabe aonde quer chegar, qualquer caminho serve. Estabeleça metas, prazo para cumpri-las e trabalhe para alcançar o seu objetivo preestabelecido. Isso é importante para que suas ações e estratégias não se percam no meio do caminho.

2.Tiro certeiro no público-alvo!

Uma das melhores estratégias para conquistar clientes é entregando uma experiência personalizada. Esses consumidores querem algo especial, direcionado a eles e que ande de acordo com o que eles precisam. E ter esse conhecimento pleno do público-alvo ajuda no processo de competitividade.

Com empresas concorrentes, funciona da mesma forma. Com quem a sua administradora está competindo? Qual outra empresa a sua precisa superar? Conhecer quem é o seu concorrente direto ajuda a não perder tempo com ações que não vão dar em nada e a focar no que realmente é preciso para conseguir o cliente que está buscando o serviço que sua administradora oferece.

3. Invista em pessoas.

Ter bons colaboradores e líderes ajudando a sua empresa a crescer é super importante na jornada para aumentar a lucratividade. Bons profissionais são engajados e interessados em evoluir junto com a marca e isso os faz trabalhar com grandes objetivos em mente.

Invista em treinamentos para capacitar os funcionários e também em momentos de descontração, como um happy hour, uma comemoração, presentes em datas especiais, etc. (queremos todos motivados).

4. Fique ligado nas tendências.

Ninguém consegue prever o futuro, é claro. Mas ficar ligado no que está acontecendo e no que está por vir através de pesquisas, estudos e profissionais especializados é o mínimo que uma empresa precisa para estar a frente no mercado e ter mais lucro.

Estar atualizado sobre novidades e previsões no seu segmento ajuda colaboradores e gestores a se preparem para o que pode vir, evitando surpresas.

5. Inove e invista em tecnologia!

As empresas mais competitivas são conhecidas por nunca ficarem paradas na zona de conforto. Elas inovam. Buscam novas formas para processos antigos e nunca param de querer melhorar o que dá para melhorar. Para isso, contratar profissionais criativos e que pensem fora da caixa é primordial.

E falando em inovação, a tecnologia é uma aliada. Ter plataformas e aplicativos que ajudam no dia a dia, na gestão do negócio e na evolução da empresa é uma ação que funciona. E é aí que a Ahreas entra. Com soluções de gestão, finanças, tecnologia e inovação para a sua administradora, fica muito mais fácil atingir o resultado almejado. Você pode dar uma olhada no que oferecemos e as vantagens clicando aqui.

O resumo da ópera: temos que entender que não existem atalhos para o sucesso, para se tornar uma administradora mais lucrativa é preciso melhorar a competitividade e os processos.

Como a tecnologia pode inovar sua administradora?

Não há como negar, os avanços tecnológicos mudaram a forma de ver o mundo. Nossa vida foi intencionalmente afetada pela tecnologia. Porém, mais importante que isso, essas mudanças afetaram as empresas diretamente e todos seus setores, principalmente nos últimos 10 anos.

Se bem utilizada, a tecnologia e todos seus avanços podem fazer maravilhas para nossas vidas (o microondas que o diga). Foi assim com o transporte, a mídia, o varejo, as viagens, o cinema e muito mais. Aprimorar e modernizar uma administradora de condomínios, por exemplo, é uma forte tendência do segmento. Cada vez mais empresas que estão no ramo condominial adotam soluções para o dia a dia do trabalho e da administração, e o que parecia bem difícil antes devido à natureza do negócio, tem sido cada vez mais essencial. É hora da transformação!

E quais são os benefícios do uso da tecnologia em administradoras de condomínios?

As vantagens são muitas e seria impossível colocar todas aqui. Além de modernização e maior agilidade, a tecnologia fornece uma série de outros benefícios que vemos aqui:

1. Melhoria da relação administradora-síndico-condomínio.
Muitos dos problemas entre administradoras, síndicos e condôminos são por falta de comunicação eficiente e funcional. Com os avanços tecnológicos, já existem plataformas de gestão e administração que facilitam, e muito, essa troca de informações.

Com esses aplicativos, a administradora pode contatar os condôminos ou o próprio síndico de forma rápida e assertiva. É possível passar informações, fazer cobrança, marcar assembléias e garantir que tudo que é preciso seja passado para todos de forma única e correta.

Além disso, a tecnologia ainda abre outros canais de informação, como grupos no WhatsApp, no Facebook, canal de vídeos educativos e informativos no YouTube (seu síndico também paga uma de youtuber?) e muito mais. Tudo isso visando melhorar a relação entre as pessoas relacionadas àquele condomínio.

2. Controle financeiro e redução de custos.
Uma administradora precisa ter controle sobre suas finanças. Isso é fato. E a tecnologia tem um papel super importante nesse desafio. Apps e plataformas de gestão já ajudam a controlar e organizar o fluxo de caixa, o que entra e o que sai, lucros, dívidas, cobranças e tudo relacionado a dinheiro. A chance de erros é quase zero.

Já a necessidade da redução de custos é uma constante em toda e qualquer empresa. Para o lucro aumentar, os custos precisam diminuir e a tecnologia ajuda a identificar gastos excessivos ou desnecessários.

3. Processos definidos! Equipe finalmente alinhada.
Os avanços tecnológicos permitem que macro-processos sejam divididos em tarefas e delegados as pessoas da equipe. Com esses processos definidos e com dados disponíveis a qualquer hora e em qualquer dispositivo por meio de aplicativos e plataformas de gerenciamento, é possível ter acesso rápido as informações de uma forma visual e inteligente, facilitando a vida da operação e da gestão na tomada de decisões.

4. Aumento de produtividade.
Um dos maiores benefícios de ter uma administradora andando junto à tecnologia, é o ganho de produtividade. Empresa e equipe mais produtiva refletem diretamente em melhor qualidade de vida e claro, aumento do lucro, diminuição de gastos e muito mais.

Aumentar a produtividade significa entregar um trabalho em menos tempo e da mesma forma, ou até melhor. Com a tecnologia não se perde mais tempo em trabalhos manuais e processos orgânicos. É tudo mais fácil de fazer, de encontrar e de finalizar, além da porcentagem de erros cometidos ser menor.

5. Adeus falta de comunicação!
Um dos maiores problemas de todas as empresas é a comunicação interna. E esse ponto deveria ser o mais importante, porque sem comunicação eficiente entre todos os membros de uma mesma empresa, os processos tendem a falhar.

Investir em um bom e simplificado canal de comunicação entre funcionários com participação das lideranças é fundamental.

6. Trazendo o cliente perto de você!
Sem tecnologia é praticamente impossível ter um contato com clientes ou possíveis clientes. Eles mandam e-mail, conhecem sua empresa através de redes sociais, pesquisam o seu site, verificam páginas de outros clientes, analisam reclamações disponíveis em sites específicos. Tudo isso só é possível por conta dos avanços tecnológicos. A experiência com o seu cliente precisa ser fluida, rápida, ágil e funcional. Com novas tecnologias é possível traçar um perfil exato do seu cliente e se comunicar com ele da forma com que ele espera.

7. Novo vendedor na área: Rede Social!
Um dos maiores divulgadores de marcas hoje em dia são as redes sociais. Nada impulsiona mais vendas do que aparecer (olha o síndico youtuber se saindo bem) no Instagram, Facebook, TikTok, YouTube e afins. Nesses lugares é possível mostrar seus produtos e serviços, divulgar, fazer anúncio, conversar diretamente com clientes, buscar perfis de acordo com o que sua empresa oferece e aparecer para a maior quantidade de pessoas possível.

8. “Na rua, na chuva, na fazenda. Ou numa casinha de sapê.”
Depois de vivermos em meio a uma pandemia, o nome home office talvez nunca mais saia da nossa cabeça e da nossa rotina. Algumas empresas até oficializaram essa forma de trabalho, deixando seus colaboradores trabalhando em casa (gerando lucro e economia ao mesmo tempo).

Com a tecnologia, é muito mais fácil trabalhar e resolver problemas de onde quer que você esteja. Novas plataformas são facilmente instaladas em celulares e tablets e tudo o que você precisa é de conexão com internet (o que hoje em dia é bem simples).

Mas como implementar tudo isso na minha empresa?


Essa é a pergunta que vale um milhão de reais. Algumas coisas são básicas e já são feitas há algum tempo. Mas aqui vamos listar algumas maneiras para você reinventar sua administradora e deixar a concorrência pra trás.

1. Fora papel!
Dá para gerenciar condomínios e afins sem papel, sim! Isso é completamente possível, mesmo a maioria dos lugares ainda trabalhando com pilhas de documentos e arquivos intermináveis. A dica é: digitalize tudo. Todos os contratos, processos, documentos. Digitalize cada vez mais e descarte papéis. Ou, sempre que possível, já receba seus documentos de forma digital, assim nem precisará digitalizar.

2. À nuvem, e além!
Todos os documentos, contratos, pastas, absolutamente tudo precisa estar em uma nuvem. Isso possibilita o acesso de todos a um clicar de botão. Sem contar que essa é uma forma segura de backup de documentos importantes que não podem se perder. Além de tudo, ficam organizados.

3. Meu dinheiro minhas regras… ou não.
Todas as arrecadações de cotas, importante informação para uma administradora de condomínios, podem e devem ser mantidas em um livro online. Dessa forma (e alimentando esse documento corretamente) é fácil encontrar quem está inadimplente ou quem está pagando em dia.

4. Dê um oi aos gadgets!
Smartphones e tablets praticamente substituíram a necessidade de ir até o escritório. Lugares enormes para armazenamento de mil papéis e arquivos já são passado e foram substituídos pela tecnologia e agora estão, literalmente, na palma da sua mão. Aproveite essa possibilidade de acessar o que quiser de qualquer lugar, além de ter um canal direto com seus clientes.

5. Informações nos lugares certos.
Antigamente, era muito difícil lidar com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo. Agora, uma agenda online pode ajudar. Tanto para contatos, quanto para compromissos do dia.

Além disso, antes os anúncios eram feitos em jornais ou no boca a boca. A tecnologia trouxe sites específicos que conectam proprietários e inquilinos, por exemplo. Tudo foi para a rede.

Enfim, como você pode ver, em 10 anos tudo mudou. Quem não está acompanhando a tecnologia, está um passo atrás no mercado. Os negócios mudaram e vão continuar mudando. Atente-se e coloque sua empresa nos trilhos da nova era.

Como o planejamento estratégico pode fazer a sua administradora crescer?

Com o final do ano chegando de uma maneira muito mais rápida do que imaginávamos (culpa da pandemia que fez o ano parecer mais curto do que nunca), é preciso pensar em 2021 e dedicar esses últimos dois meses a um planejamento estratégico para sua administradora.

Na teoria, o planejamento estratégico é o ato de criar métodos e planos para uso eficaz de todos os recursos que uma empresa tem disponível, seja ele humano, financeiro, tecnológico ou material, para conseguir melhores resultados e evitar que fatores externos gerem grandes prejuízos. De acordo com o especialista em estratégias e professor da Harvard Business School, Michael Porter, “estratégia pode ser definida como o conjunto de ações ofensivas ou defensivas para criar uma posição em uma determinada indústria para enfrentar com sucesso as forças competitivas e obter um retorno maior sobre o investimento”.

E quando falamos de administradoras de condomínios (e até mesmo imobiliárias), esse planejamento acaba sendo um processo de criação contínuo, análises e implementação de um projeto que vai ajudar a empresa rumo aos seus objetivos. Além disso, é de suma importância o estudo de ambiente interno e externo e definição de metas. Sem saber onde quer chegar, o caminho é bem mais complicado.

Quais os tipos de planejamento estratégico?

Existem alguns tipos de planejamento que podem ser classificados e divididos levando em conta três aspectos principais: nível organizacional, profundidade e abordagem. Nem sempre há um consenso sobre as nomenclaturas, mas conhecer esses níveis faz o planejamento estratégico ser muito mais simples e eficaz.

1. Nível Organizacional – A hierarquia da empresa é analisada ao planejar a estratégia e é divido em:

  • Planejamento Estratégico: é o planejamento do negócio e apresenta uma visão corporativa da estratégia.
  • Planejamento Tático: é o planejamento em que toda parte estratégica é detalhada. Leva em consideração todas as unidades e divisões da empresa, suporte, departamentos e colaboradores.
  • Planejamento Operacional: não é considerado um tipo de planejamento estratégico, mas analisa o dia a dia da empresa e mostra como tais estratégias impactarão.

2. Profundidade – significa que é analisada a intensidade das mudanças de um planejamento estratégico. Faz parte:

  • Renovação Estratégica: acontece uma redescoberta da empresa. Normalmente acontece quando o negócio acabou de passar por uma crise ou está em estado de alerta sobre um possível risco.
  • Atualização da Estratégia: confirma e atualiza o planejamento estratégico. Não há muita ação, apenas a análise de mudanças e evoluções.
  • Replanejamento Estratégico: acaba ficando entre a atualização e a renovação. É usado quando existe a necessidade de repensar alguma estratégia.

3. Abordagem – é relacionado à forma de criação de um planejamento estratégico. E são eles:

  • Clássica ou Tradicional: foco na resolução de problemas e costuma usar alguma metodologia mais tradicional.
  • Contemporânea: utiliza de diversas metodologias e visões, além de ferramentas e até mesmo softwares para colocar em prática mudanças em diversos níveis.

Como fazer um planejamento estratégico?

Uma administradora de condomínios precisa entender sua área de atuação e como pode ser feito um planejamento estratégico dentro disso. A análise de seus clientes, possíveis novos clientes e como o mercado imobiliário vai se comportar no próximo ano é essencial para que esse planejamento tenha um rumo detalhado. É de extrema importância que o mercado imobiliário esteja envolvido nas etapas de análise e reanálise, pois é um mercado que tem algumas mudanças dependendo de como a economia caminha no país. O planejamento estratégico deve prever essas mudanças. Mas, pela lógica, ele deve seguir os pontos aqui listados:

1. Definição de objetivo.

A definição de missão, visão e valores da empresa ajuda a definir qual o propósito e onde o negócio pretende chegar. É o passo mais importante de todos porque é o ponto de partida.

2. Análise e estudo do mercado.

É importante saber onde se está pisando. Um diagnóstico do mercado imobiliário e de como sua administradora pode ser impactada pelas mudanças e pelo ambiente externo evita surpresas futuras e deixa um espaço para o futuro.

3. Descubra os pontos fortes e os pontos fracos da sua administradora.

Nessa parte é importante sentar e conversar com colaboradores e clientes. Ter um feedback sincero e honesto ajuda a começar a enxergar quais são os pontos críticos e que estão te afastando de resultados melhores e dando mais mercado à concorrência, e seus pontos fortes, que te fazem ter um diferencial perante a outras empresas e podem te ajudar no sucesso.

4. Construa um plano de ação.

Após ter entendido toda a estrutura da sua administradora, é hora de colocar a mão na massa e definir todos os objetivos estratégicos e um plano de ação para implementação. Essa é a hora da criação. Entenda isso através de uma ferramenta chamada 5w2h que representam 7 palavras em inglês: what (o que vai ser feito?), why (por que?), where (onde?), when (quando?), who (quem vai fazer?), how (como vai ser feito?) e how much (quanto custará?).

  • Planeje de tempos em tempos, focando no curto prazo.
    Traçar objetivos trimestrais, por exemplo, pode ser uma boa ideia. Assim, fica mais fácil de acompanhar resultados e alcançar metas, além de saber onde é preciso mais esforços. Além disso, é possível atualizar objetivos caso haja mudanças repentinas.
  • Padronize o visual do planejamento estratégico.
    Usar templates de fácil visualização ajuda a projetar e a entender melhor os objetivos e permite a cada área envolvida uma personalização do template (por exemplo, excluir áreas que não competem a esse departamento).
  • Lista de sugestões.
    Nem sempre é possível colocar como objetivo todas as sugestões. Então faça uma lista e coloque em stand-by.
  • Defina as estratégias que serão usadas.
    As estratégias são o que define como, quando e de que jeito os resultados serão alcançados. Boas estratégias fazem uma empresa ser mais competitiva e focada naquilo que ela quer. Michael Porter diz que existem três estratégias principais:
  • diferenciação: é a busca do destaque de uma empresa através da qualidade do que ela oferece;
  • Liderança de baixo custo: busca ganhar o mercado através do preço baixo e competitivo;
  • foco: busca ganhar uma parcela especifica e segmentada do mercado, prezando pelo foco.
  • Teste de ideias.
    Testar algumas ideias que geram dúvidas é uma ótima saída. Alguns objetivos nem sempre estão baseados em indicativos ou estudos, e por isso testa-los ao longo de um trimestre ou bimestre mostra se aquela sugestão é plausível com o direcionamento da empresa ou não.
  • Deixe claro os papéis de cada um.
    A responsabilidade em um planejamento estratégico é de todos. Por isso, é importante deixar claro qual é o papel de cada colaborador da empresa. Inclusive dos líderes. Eles são os principais pontos de ligação de cada estratégia desenhada.
  • Peça feedback dos clientes e analise a satisfação.
    Para saber se os objetivos estão surtindo efeito ou não, analise a satisfação dos seus clientes.

5. Escolha as ferramentas certas e invista em inovação.

Um planejamento estratégico precisa ter uma boa execução. Para isso, muitas vezes algumas ferramentas são necessárias. Apps, softwares e plataformas de gestão fazem toda a diferença na hora de colocar em prática esse planejamento. Isso é investimento.

O planejamento estratégico não é uma tarefa de poucas mãos. É necessário o comprometimento de todos dentro da sua administradora de condomínios ou de qualquer outra empresa. Requer tempo, estudos e estabelecimento de metas. Mas faz total diferença planejar os próximos passos em um mercado tão competitivo. E aí, já fez o planejamento estratégico do seu negócio?